Apesar de todos os estudos e pesquisas envolvidos, a verdade é que a medicina continua não sendo uma ciência exata. Tomar antibióticos para infecção sempre funciona?  Não. A oncologia, que aborda uma doença tão complexa como o câncer não seria diferente, ao contrário, é uma das áreas que mais trabalha com possibilidades ( e não certezas).

É exatamente por isso que eu procuro sempre ser muito claro na hora de indicar qualquer tratamento ou explicar sobre alguma patologia. Não podemos nunca garantir resultados.

Onde estão as incertezas? Basicamente em todo lugar.

Vamos a um exemplo: a paciente foi submetida a uma cirurgia curativa, onde toda a doença foi removida. Ela está curada? Não sei. Em oncologia, definimos cura quando a pessoa passa 5 anos sem apresentar recidiva do câncer. É um valor arbitrário. Sabemos que após 5 anos as chances do problema retornar reduzem bastante, mas nem por isso a pessoa está isenta de riscos (até porque nenhum de nós está). O que oncologistas clínicos fazem nessa situação é aumentar as possibilidades de sucesso, por vezes de maneira extremamente relevante, por vezes muito discreta.

E o câncer que não tem cura? As incertezas também existem. O intuito nesta situação é “estacionar” a doença, controlar a dor, reduzir seu tamanho. Sempre funciona? Longe disso. Obviamente sempre iremos buscar aquilo que proporcionará mais chance de tudo dar certo. Em caso de falha geralmente temos uma ou duas opções alternativas, mas daí as o raciocínio  começa tudo de novo.

Fato é, como oncologistas o máximo que conseguimos fazer é trazer as probabilidades a favor do paciente. Por vezes as chances de sucesso são altas e mesmo assim as coisas dão errado. Ainda bem que também existem os casos “quase impossíveis”, mas que ainda assim dão certo. E é por isso que o oncologista tem que ser eternamente um otimista…

Comentários
  1. Eliane Veigas diz:

    Em outras palavras, podemos dizer que o tratamento oncológico é uma “falsa esperança” que plantamos aos pacientes e aos parentes ? È isso que estou enxergando há um ano de tratamento de cancro C20 com histologia T3N1M0 de minha mãe.

  2. Olá Eliane. Quem vende falsas esperanças não é oncologista, e sim um charlatão. O tratamento oncológico bem indicado tem impacto cientificamente comprovado em inúmeras doenças, tanto na porcentagem de cura como no aumento do tempo de vida (nos casos incuráveis) e tambem na qualidade de vida.

    Quanto ao caso de sua mãe é difícil opinar pois não conheço a situação nem o tratamento, mas as neoplasias T3N1M0 embora de maior risco ainda são potencialmente curáveis, por isso mantenha a fé!

  3. eliane veigas diz:

    Muito obrigada pelo retorno, e de maneira alguma quiz ofender a classe de oncologia, muito pelo contrário, tenho tido muito apoio tanto dos médicos como de psicólogos e da parte da quimio e radio. É que, na verdade estou vivendo numa tensão e espectativa constante, talvez até maior do que a própria paciente.

  4. Nem passou pela minha cabeça que estavas sendo hostil! continue mandando comentários e acompanhando o blog, estou aqui para isso🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s