Mitos e verdades sobre fatores de risco para cancer de mama

Posted: Março 11, 2011 in ciência
Tags: , , , ,

OBS- desculpem a demora para esse novo post. O aparecimento de um TCC na minha vida não ajudou na minha produção de textos…

Muitos são os questionamentos sobre o que aumenta e o que diminui os riscos para o câncer de mama. O excesso de informações, muitas vezes incorretas, ajuda a aumentar a confusão sobre o tema.

Nesse post, colocarei de forma clara e suscinta todos os tópicos que eu encontrar sobre o assunto, baseado no conhecimento científico. Quando eu mencionar que “não há comprovação científica” simplesmente estou afirmando que ninguém conseguiu provar, para sim ou para não, que determinado fator pode mudar os riscos de uma pessoa.

Seguem os tópicos:

Sexo– Bastante óbvio, ser mulher é o maior fator de risco para câncer de mama. O que não é obvio para todos, é que os homens também desenvolvem a mesma doença, mas na proporção de 1 homem para 100 mulheres.

Idade– O risco vai se elevando até os 45 a 50 anos de idade. Após isso, ocorre uma queda na incidencia, provavelmente devido às mudanças hormonais que a mulher sofre após essa idade

Raça– Não está completamente claro se esse fator se aplica somente a raça ou se está mesclado também com fator socioeconômico, mas existem diferenças raciais. Nos Estados Unidos por exemplo, a incidência do câncer de mama é menor nas mulheres latinas que nas negras, e nessas é menor que nas brancas

Doenças benignas– A grande maioria das doenças benignas NÃO estimula o aparecimento de neoplasias. Fibroadenomas, por exemplo, são encontrados em muitas mulheres jovens, e não tem relação com o câncer. Em caso de dúvida, pergunte sobre o seu caso em particular para seu médico

Peso– Mulheres com obesidade tem mais chance de desenvolvimento do câncer de mama. Isso é valido para mulheres que estão na menopausa.

Álcool– O consumo crônico de álcool está relacionado ao aumento da incidência da doença

Consumo de gorduras– Os trabalhos tem resultados variados. Alguns estudos com muitos pacientes mostram que o consumo excessivo de gordura pode aumentar o risco de câncer de mama. Outros trabalhos no entanto não comprovam essa conclusão. Como a ingestão de gorduras irá aumentar o peso da mulher, podemos assumir que mesmo indiretamente o risco irá aumentar.

Carne vermelha– Um estudo mostrou aumento do risco de câncer de mama em mulheres que consumiram mais que 5 porções de carne por semana

Cálcio e vitamina D– Os estudos são conflitantes. Alguns mostram um grau de proteção para as mulheres que ingerem tais produtos, outros não encontraram essa relação. Ainda não se pode afirmar com certeza qual a relação verdadeira desses fatores.

Antioxidantes– Vitaminas E, A, C, beta-caroteno. Nenhuma delas tem relação de proteção confirmada cientificamente

Cafeína– Também não foi encontrada relação entre o consumo de cafeína e predisposição a câncer

Cigarro– Embora não tão evidente como a relação com o câncer de pulmão ou câncer de cabeça e pescoço, existem vários estudos que mostram uma relação moderada entre tabagismo e aumento de risco para o desenvolvimento de câncer de mama

Amamentação– Mães que amamentam tem menos risco de desenvolver câncer de mama, comprovado em vários estudos

Anticoncepcionais orais– Apesar de algumas controvérsias iniciais, já existe a comprovação que o uso de anticoncepcionais orais não aumenta o risco de desenvolvimento do câncer

Reposição hormonal– A maioria dos estudos conclui que existe uma relação causal entre o uso de terapia de reposição hormonal e o desenvolvimento de câncer de mama, especialmente com o uso prolongado da medicação. No entanto, existem indicações precisas para esse tipo de tratamento, e várias situações onde o risco é muito baixo e os benefícios altos. Sempre converse com seu ginecologista antes de tomar qualquer decisão sobre esse tipo de terapia

Relação familiar– A historia familiar de câncer de mama é um risco importante para o desenvolvimento da doença, mas deixo claro que apenas 20% dos casos de pacientes com a neoplasia tem um histórico familiar positivo. Parentes de primeiro grau são os mais relevantes, especialmente se desenvolveram a doença enquanto jovens.

Enfim, com esse texto cobri os tópicos que geralmente sao questionados no consultorio. Se alguém tiver alguma duvida sobre algum outro fator de risco possível, é só me perguntar nos comentários

Comentários
  1. silvana theodoro da silva diz:

    por favor queria pedir sua ajuda sou enfermeira e fiz uma prova para um processo seletivo e uma das questões era sobre fatores de risco para cancer de mama.E a resposta é que mulheres que engravidam entre 25 e 30 anos não constitue um fator de risco>não consegui encontrar nada em literatura que confirme essa questão e sim em mulheres que engravidam antes dos 35 anos.Você tiver algum artigo ou referencias bibliograficas me envie por favor.Desde já agradeço a atenção.
    silvana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s